5 de set de 2015

(Resenha) O apanhador no campo de centeio

Olá, leitores.
Como vão?
Eu recentemente tive de lidar com uma separação horrível... sabe quando você pega emprestado o livro da biblioteca da sua escola, e lê. E AMA, e quer que ele seja seu, você cria relações não somente com os personagens DO livro, mas com o próprio livro. Então, foi isso que aconteceu com O Apanhador no Campo de Centeio, amei, e agora, ele está lá, sozinho, neste escuro, na biblioteca.
(Se alguém quiser me dar esse livro, super aceito.)
E mesmo nesse espírito de separação, venho resenhar à vocês hoje, esse MARAVILHOSO livro.

Então, vamos lá?



Resenha: O Apanhador no Campo de Centeio, J.D.Salinger.




Holden Caufield, um garoto de dezesseis anos, e para alguns, considerado estranho, para outros, problemático, mas não, é somente uma pessoa que odeia a maioria das coisas, de coisas pequenas à coisas grandes. Estuda no colégio de Pencey, em NY, mas não por muito tempo, está prestes a ser expulso, e não pela primeira vez. De cinco matérias, foi reprovado em quatro, mas passou em Inglês, porque nisso, ao menos, é bom.
Seu pai é advogado, seu irmão mais velho, D.B., escritor e vive em Hollywood, sua irmã mais nova, Phoebe, uma garotinha encantadora, a quem todos amam, e também o Allie, seu irmão falescido, mas mesmo que morto, Holden continua o amando, conversando com ele, sentindo sua falta.
Mas é assim não é?

"Pomba, só porque uma pessoa morreu não quer dizer que a gente tem que deixar de gostar dela... Principalmente se era mil vezes melhor do que as pessoas que a gente conhece e estão vivas, e tudo." -Holdem (página 146)
Com seu parceiro de dormitório com hábitos mais nojentos do que um próprio suíno, Stradlater, é difícil interagir, já que sempre está saindo com uma garota nova (o que Holden não conhece entender, já que se as garotas soubesse seus hábitos higiênicos, não iriam querer beijá-lo), o mesmo pode ser dito de um outro cara, Ackley, o cara mais inconveniente de todo o colégio, com quem Holden se relaciona até que aceitavelmente (por pura educação).

Holden, descobre que Stradlater, seu colega de dormitório vai sair com Jane, sua vizinha de quando criança, e da qual sente muitas saudades, para quem tenta ligar muitas vezes...
Mas nunca está disposto.
Sabendo que vai ser expulso, e que as férias de Natal se aproximam, e aproveitando que tem um dinheiro guardado, Holden abandona o colégio em uma madrugada e parte para a noitada. Dorme fora, reve alguns colegas e amigos, e por ser alto e NÃO aparentar ter somente dezesseis anos, pode comprar bebidas facilmente, e é o que ele sempre faz. Uísque com soda, e um pouco de música, e uma prostituta.
Narrado em primeira pessoa, podemos descobrir os pensamentos de Holden, confusos, quando está bebâdo, mórbidos, quanto está deprimido, e felizes, quando está empolgado, animado ou derivados disso. De um jeito simples, ele relata uma parte de sua adolescência para quem quiser ler, e nos mostra um final que realmente não esperaria.
Eu poderia contar...
Mas não estou disposto.



Opinião sobre o livro


O livro é simplesmente maravilhoso. Confesso que nas primeiras vinte páginas, mesmo que estando interessante, tive dificuldades de me relacionar com Holden, pelo seu modo de falar seja bem estranho, por conta de ser antigo, algumas gírias tive de rachar o crânio para saber o que é, mas assim que a escrita antiga se relacionou comigo, pronto. Fechamos um ciclo de amor por amor. Fiquei completamente apaixonado por esse livro, e enfrentei aquele típico pensamento de "Quero terminar, mas não quero terminar", e foi EXATAMENTE isso que rolou. Eu queria saber do final, mas sabia que quando chegasse nele, sentiria saudade dos personagens, do Holden, e de tudo por dentro do livro. Quando eu terminei de ler, eu estava em casa, na sala, quase quatro horas da manhã, e estava com MUITO sono, mas o final do livro me deixou AGONIZADO, porque eu queria muito saber o que acontecia, como acontecia, com quem acontecia, e tudo mais, tudo detalhadamente sobre um futuro não tão distante dos personagens, e foi díficil dizer adeus.
Um livro para quem gosta de livros meio adolescente deprimentes, com aquela temática mórbida, mesmo que não seja realmente isso, é encantador. Mal vejo a hora de ter o meu próprio exemplar na minha "estante" (guarda roupa).
Então, EU RECOMENDO TOTALMENTE ESSE LIVRO.



Bom, galera, foi isso.
Espero que tenham gostado da resenha, e também da bela recomendação que fiz à vocês, porque para mim, é o livro que todos deveriam ler, mesmo que um pedaço, uma parte, uma página ou até uma frase, ele todo transmite uma mensagem muito boa, a cada página uma frase nova para você refletir na vida e em tudo ao seu redor.
Quem já leu, e gostou, provavelmente sabe do que estou falando, mas para quem leu e não gostou... Leiam de novo, deve ter algum problema aí. (risos)

Com carinho,
Weasleyzinho.

3 comentários:

  1. Quero muuuuito ler esse livro, muito mesmo, tenho uma curiosidade enorme para saber o que vou achar dele. Sempre vejo elogio :)

    Bjoo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim que puder, leia. E persista nele, acredito que poucas pessoas vão simpatizar com o livro de primeira, mas vale a pena continuar, é altamente recomendável. Bjs!

      Excluir
  2. É ótimo isso, ficar na dúvida e acabar com muito amor pelo livro rs
    Já ouvi falar muito bem desse livro.
    Espero conseguir ler qualquer dia ;)
    Beijos
    Dri

    ResponderExcluir