21 de nov de 2015

Especial Literatura Nacional - autores parceiros, livros e quotes.

Olá, leitores.
Como vão?

Há um tempo estava pensando em fazer algo que envolvesse, como tema principal, a literatura nacional e ao terminar minha última leitura nacional (Boston Boys - Giulia Paim) decidi fazer isso o quanto antes. Provavelmente o post ficará extenso, mas tentarei não ser monótono e manter um ritmo legal para que todos consigam (e gostem de) acompanhar.

Especial Literatura Nacional - autores parceiros, livros e quotes


- Como comecei a ler nacionais?


Bem, havia me tornado um leitor há um tempo, mas como até então nunca tinha lido um livro nacional (vergonhoso, eu sei), pensei em começar por um que significasse algo para mim, algo bom e que eu gostasse. E foi aí que comecei, com uma coisa que significava muito para mim e que gostei (e ainda gosto) muito, a parceria entre mim e a Dáfne, (no instagram: @legiaobranca) deu frutos, e um maravilhoso exemplar de seu livro "O despertar do Guardião", que não só li, como adorei, favoritei, recomendei e tudo mais. 

- O despertar do Guardião - a saga da Legião Branca - Dáfne Freitas:





Héricles se vê em uma difícil decisão: salvar a princesa Si, de um homem que julga ser um maníaco, mas com isso perder o título de Capitão da Guarda Real, ou deixar que suas suposições se concretizem e o reino todo seja punido? 

Em O despertar do Guardião, a autora, Dáfne, nos prende do início ao fim e a cada página nos surpreende com um fato, que no final, são interligados e que te surpreende.

As aventuras do livro são tantas que fica difícil abandoná-lo, mesmo que por um tempo curto.





"Fogo que aquece é também aquele que consome."




- Intergaláctica - F.P.Trotta:


Depois de ter lido meu primeiro nacional e adorado, decidi que tentaria ser parceiro de mais algum autor, cuja obra me interessasse, e não demorou muito até eu encontrar Franco Trotta, autor de Intergaláctica, e assim que recebi meu exemplar de Intergaláctica, não demorou a ser lido, já que o livro em si, me encantou, por completo.




Estranhamente, depois de ter estado meses em coma, Amanda Collins acorda, e diz que "sonhou" que outra odisseia existia, outro plano. Que não estavam sozinhos no mundo. Junto com seus "clientes", que se tornaram amigos e cúmplices, Amanda tentará fazer com que as coisas voltem a ficar boas com o homem que fez tudo mudar: seu pai.

Recheado de reviravoltas, Intergaláctica te surpreende do início ao fim, e te faz ver o tamanho da criatividade que o autor teve, em criar não só outro planeta, como também vários. Com um final que surpreende e te deixa sem chão, Intergaláctica logo terá sua continuação: Interdimensional.



"Medo, a sensação de medo, é parte fundamental , crucial da evolução humana. Mas ao mesmo tempo é inútil pois não há razão para se ter medo de nada."



- Herdeiros de Atlântida - Filhos do Éden - Eduardo Spohr:

Depois de ter acabado meu segundo nacional, decidi que leria algo que, não só meus amigos gostavam, mas que também praticamente todos que leram se encantaram, a série nacional Filhos do Éden, do autor Eduardo Spohr. A curiosidade não me levou a outro lugar, senão as aventuras (e perigos, muitos perigos) que Urakin, Levih, Kaira e (até) Denyel. 



Com pouco menos de 450 páginas, poderia esperar que iria demorar, no mínimo, uma semana, considerando que terminei um livro destruidor recentemente, mas não, pelo contrário, em quatro dias (poderia ter lido em menos, mas não queria terminar o livro porque sabia que algo -fatal- ia acontecer, poque -sim- me deram spoiler).

Ansioso pelo próximo livro da série, Anjos da Morte, volume dois. Altas expectativas? Com certeza. Irei me decepcionar? Com certeza não.

Ainda não foi resenhado no blog, então se você quiser resenha deste livro, comenta aí, que farei.





(O livro é recheado de várias frases boas, mas como não era meu, devolvi e como não lembrei de anotar, finjam, por favor, que tem uma frase linda daquelas que a gente coloca no status do whatsapp)


- Boston Boys - Giulia Paim

Como quarto nacional, e considerando que todos os outros três que eu li e eram ótimos, imaginei que este também seria. E fico absolutamente feliz de não ter errado sobre este livro que, não só foi bom, como foi maravilhoso, ultrapassando qualquer expectativa que eu tinha para este livro. A simplicidade do livro me encantou, e o conteúdo, tanto da história como do próprio livro me surpreenderam. E fico feliz de dizer que amei este livro, e que foi, sem dúvida, o livro que mais me fez rir.


Ronnie Adams, diferente de todas as outras meninas, detesta um programa de TV chamado Boston Boys, onde três adolescente mostram, basicamente, a vida perfeita que levam. Egocêntricos. Mimados. Irritantes. É isso o que Ronnie acha deles. Mas sua vida de cabeça para baixo quando descobre que sua mãe mudou de emprego, de analista de sistemas, se tornou produtora de TV, de uma série muito famosa: Boston Boys. Ronnie surta, mas sem saber que o pior ainda não é isso. O pior é que, o protagonista da banda, Mason, vai morar com sua família, a convite de sua mãe.

Leve, divertido, o tipo de livro que faz você rir quinze vezes em uma só página. 




Chega um ponto em que ningúem aguenta mais , e simplesmente precisa botar tudo para fora e chorar."



Clique aqui para conferir a resenha de Boston Boys.




Acredito que todos tenham tido um modo diferente de ter começado a ler nacionais, uns começaram a ler por nacionais, outros leram nacionais através da Clarice, outros de um um outro jeito, e outros de um jeito mais diferente. Esse foi o caminho em que a literatura nacional e eu nos trombamos, através de parcerias com autores nacionais (e influências de amigos).

Depois de ter provado essas maravilhas nacionais, imponho metas a mim mesmo de que lerei mais nacionais, já que se provaram tão dignos quanto os estrangeiros, e merece mais reconhecimento dos leitores, e que também esse preconceito de "livros estrangeiros são melhores que os nacionais", não, não, não. Tem cérebro de espiga quem explana isso, a literatura nacional é ótima, assim como a estrangeira, vai de uma pessoa para outra, mas considero as duas, igualmente maravilhosas. 

Estou pensando em fazer uma lista de livros nacionais que eu ainda quero ler, só nacionais. E se caso fizer, vocês me dizem quais leram, quais não leram, quais querem, quais gostaram, quais não gostaram e etc.



É isso,
até mais,
galera.

11 comentários:

  1. Oie, adorei o post. Sempre bom lermos nacionais, valorizarmos os nossos autores aqui, afinal temos livros ótimos como tu mesmo falou no post, enfim adorei. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, que bom que gostou, pois é, é sempre bom lermos nacionais, um das principais vantagens é o contato maior entre leitor e autor, mais fácil. Que bom que gostou, obrigado;

      Excluir
  2. Oie, amo livros nacionais tenho poucos aqui em casa mas os que tenho são perfeitos *-* Fico feliz em saber que a literatura nacional vem crescendo cada vez mais :3

    Abraço,
    Túlio.
    IG: @ldivergentes | Blog: http://www.leitoresdivergentes1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, infelizmente ainda tenho poucos nacionais em casa, mas os que tenho são frutos de parcerias muito boas, e fico feliz com isso, mas espero mesmo que logo logo minhas leituras nacionais sejam expandias e que minha coleção nacional aumente. Fico feliz também que a leitura nacional esteja cada vez maior, é um orgulho. Abraços.

      Excluir
  3. Gostei muito do seu blog 🙏 @um_livro_ sorteio ❤

    ResponderExcluir
  4. Olá, ótimo blog, escrita maravilhosa, adorei os livros, parecem ser realmente bem legais. Vou anotar eles na minha lista kkk (: (@paesliv)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, awn, que bom que gostou, realmente deveria anotar, são todos maravilhosos.

      Excluir
  5. Oi! Tudo na paz?
    Então, ler nacionais.. é uma bela escolha depois de adiar tanto! (eu, no caso).
    Infelizmente nossos nacionais demoraram demais para ganhar espaço. Não pela falta de bons conteúdos, mas a falta de apoio e divulgação. É com imensa alegria que atualmente, temos tantas coisas boas no "nosso local" kkk, Editoras empenhadas e autores incríveis com histórias incríveis. O seu post não deixa nada omisso. Apesar de não ter lido nenhum desses, já falei anteriormente em um dos seus posts que quero ler o Boston Boys, tenho contato direto e amoroso com os livros da Carina Rissi e da Bianca Briones. (estilos diferentes dos apresentados por vc). O que não deixa de colocar o hall dos nacionais lá no topo. O que falar da Paula Pimenta? Livros teens que têm ganhado o mundo de maneira extraordinária!!!
    E que nossos nacionais voem, voem bem alto e conquistem o mundo como os livros "gringos" conquistam.
    Belo post, beijos.
    O Que Eu Ando Lendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo na paz, e contigo? haha concordo plenamento com você na questão de a literatura nacional ter começado a ser reconhecida agora, e que isso está rendendo a descoberta de grandes autores e grandes obras. Faço das suas as minhas palavras, que os nacionais voem, voem e voem. Obrigado, beijos.

      Excluir
  6. Adorei o post e adoro livros nacionais, desde os clássicos até os atuais! Machado de Assis me encanta sempre que leio e dos atuais o meu preferido é Suicidas do Raphael Montes, ele é muito foda (desculpa a linguagem, mas foi necessária haha)! Recomendo fortemente, sério, se você quer ler mais nacionais coloque esse livro na sua lista de compras hahah Tem resenha dele lá no blog se quiser saber do que se trata, mas nem precisa saber do que se trata para ler, só leia HAHAH
    Vou anotar esses que você citou para comprar, muito interessantes! Beijos.
    https://asylumtoreaders.wordpress.com/

    ResponderExcluir